Overblog Suivre ce blog
Administration Créer mon blog
17 août 2011 3 17 /08 /août /2011 02:21
Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article
10 août 2011 3 10 /08 /août /2011 19:38
Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article
4 août 2011 4 04 /08 /août /2011 23:38
Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article
3 août 2011 3 03 /08 /août /2011 01:43
Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article
20 juillet 2011 3 20 /07 /juillet /2011 16:45

vinhos.jpg

 

22-08-2011

 

Champagne, Bourgogne, Bordeaux e Sauternes. As mais brilhantes e bem conceituadas regiões vinícolas em um evento exclusivo.

 

No luxuoso Restaurante Bar d´Hotel, a Chef Maria Victoria irá preparar combinações para vinhos das regiões mais prestigiadas do mundo.

O Programa Entrada Nage de ostras ao caviar servidas quentes com espinafres sautée Camarões com molho de laranja e açafrão, musseline de alho poró e massa phyllo Acompanhada de: Champagne Michel Gonet Cuvée Spéciale Prestige Blanc de blancs Grand Cru 1998 Champagne

 

1º. Prato Codorna desossada recheada com farofa de banana passa e palmitos assados Acompanhado de: Albert Ponnelle Savigny-Les-Beaune Vieilles Vignes 2007 Bourgogne/Savigny-Les-Beaune

 

2º. Prato Mignonettes de cordeiro com purê de batata baroa e geléia de cebola roxa Acompanhado de: Chateau Figeac 2007 Bordeaux / Saint-Émilion Jancis Robinson - 16.5 pontos Chateau Pontet Canet 2007 Bordeaux/ Pauillac Grand Cru Classé 91 Robert Parker

 

Sobremesa Pudim de frutas secas flambado em conhaque e creme de baunilha Acompanhada de: Chateau Guiraud 2007 Bordeaux Sauternes 91 Robert Parker

 

A Chef Maria Victória atualmente ocupa o cargo de chefe executiva do Marina All Suítes e é responsável pelo Bar d´Hotel e pelo Bar do Lado.

Prestou serviços e consultorias a restaurantes e bufês do Rio de Janeiro e ministrou aulas de culinária em diversos cursos, entre eles o Cook’ s club, no Barra Point.

 

Mais informações: www.vinitude.com.br

 

Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article
14 juillet 2011 4 14 /07 /juillet /2011 20:01

 

 

 

 

 

 BTLE-JAD0041.jpg

ETIC-JAD0041.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A PROVA Cor intensa, rosa pálido-laranja.

 

Nariz sedutor, aromas frescos e frutados. Frutado, fresco e agradável, mas também estruturado com uma área agradável.

 

As sugestões SERVIR Servido entre as 9 e 12 ° C.

 

Pernas de rã, rillettes, cozinha de grelhados.

Beber até 2013

 

CAMPO E VINHO Henry Louis Denis Jadot Louis Jadot fundada em 1859. Seu filho, Jean Baptiste Louis sucedeu em 1900 e continuará a desenvolver através da compra de muitas vinhas, incluindo Corton Charlemagne e Chevalier Montrachet Les Demoiselles.

 

As áreas da casa agora cobrem 154 hectares na Côte d'Or, no Macon e Beaujolais.

Sua reputação já há muito ultrapassou as fronteiras da França, uma verdadeira referência.

 Através de sua Marsannay 2010 Rosé, Louis Jadot expressa seu talento.

Assim, o clássico Burgundy "100% pinot noir" se desdobra em uma estrutura bonita e uma boa quantidade de taninos.

O paladar é denso e carnudas, como os vinhos de Marsannay, e equilibrado com notas de cereja burlat.

 

Fermentação das uvas para alguns dias de fermentação e envelhecimento em tonéis.

PRÊMIOS Casa marcou cinco estrelas (excelente nível) no des Vins de France Parker potência nominal de 2 estrelas na Casa dos Melhores Vinhos da França 2011 (RVF)

Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article
10 juillet 2011 7 10 /07 /juillet /2011 21:20

 

 250px-Shiraz Grapes

 

História do Vinho ­

 

 

A história do vinho está intimamente ligada à história do homem. Há indícios de que a bebida tenha mais de 7.000 anos, com origem mais provavél no Oriente Médio, entre os mares Negro e Cáspio, ao sul do Cáucaso.

 

Não se pode apontar precisamente a época em que o vinho foi feito pela primeira vez, do mesmo modo que não sabemos quem foi o inventor da roda.

 

Uma pedra que rola é um tipo de roda; um cacho de uvas caído, potencialmente, torna-se, um tipo de vinho. O vinho não teve que esperar para ser inventado: ele estava lá, onde quer que uvas fossem colhidas e armazenadas em um recipiente que pudesse reter seu suco.

 

 A videira para vinificação pertence a espécie Vitisvinifera e suas parentes são a Vitis rupestris, a Vitis riparia e a Vitis aestivalis, mas nenhuma delas possue a mesma capacidade de acumular açúcar na proporção de 1/3 do seu volume, nem os elementos necessários para a confecção do vinho.

 

 A videira selvagem possue flores machos e fêmeas, mas raramente ambas na mesma planta. A minoria das plantas são hermafroditas e podem gerar uvas, mas quase a metade do número produzido pelas fêmeas. Os primeiros povos a cultivar a videira teriam selecionado as plantas hermafroditas para o cultivo.

 

A forma selvagem pertence a subespécie sylvestris e a cultivada à subespécie sativa. Na europa a difusão do vinho deu-se pelos impérios egício, grego e romano.

 

O vinho está relacionado à mitologia grega. Um dos vários significados do Festival de Dionísio em Atenas era a comemoração do grande dilúvio com que Zeus (Júpiter) castigou o pecado da raça humana primitiva. Apenas um casal sobreviveu.

 

Seus filhos eram: Orestheus, que teria plantado a primeira vinha; Amphictyon, de quem Dionísio era amigo e ensinou sobre vinho; e Helena, a primogênita, de cujo que nome veio o nome da raça grega.

 

Um fato muito interessante e que mostra o cuidado que os egípcios dedicavam ao vinho é a descoberta feita em 1922 na tumba do jovem faraó Tutankamon (1371-1352 a.C.).

 

Foram encontradas 36 ânforas de vinho algumas das quais continham inscrições da região, safra, nome do comerciante e até a inscrição "muito boa qualidade"!

 

A Bíblia Sagrada está repleta de passagens sobre vinho. Há inúmeras lendas sobre onde teria começado a produção de vinhos e a primeira delas está no Velho Testamento.

 

O capítulo 9 do Gênesis diz que Noé, após ter desembarcado os animais, plantou um vinhedo do qual fez vinho, bebeu e se embriagou.

 

Finalmente, é imprescindível lembrarmos as descobertas sobre os microorganismos e a fermentação feitas por Louis de Pasteur (1822-1895) e publicadas na sua obra "Études sur le Vin".

 

Essas descobertas constituem o marco fundamental para o desenvolvimento da enologia moderna. A partir do século XX a elaboração dos vinhos tomou novos rumos com o desenvolvimento tecnológico na viticultura e da enologia, propiciando conquistas tais como o cruzamento genético de diferentes cepas de uvas e o desenvolvimento de cepas de leveduras selecionadas geneticamente, a colheita mecanizada, a fermentação "a frio" na elaboração dos vinhos brancos, etc.

 

Ainda que pese o romantismo de muitos que consideram (ou supõem?) os vinhos dos séculos passados como mais artesanais, os vinhos deste século têm, certamente, um nível de qualidade bem melhor do que os de épocas passadas.

 

Na verdade algumas conquistas tecnológicas, como as substituições da rolha e da cápsula por artefatos de plástico e da garrafa por caixinhas do tipo "tetra brik" são de indiscutível mau gosto e irritam os amantes do vinho.

 

Resta-nos esperar que os vinhos dos séculos vindouros melhorem ou, pelo menos, mantenham o nível de qualidade sem perder o charme dos grandes vinhos do século XX !

 

Fonte: Manual do Vinho, Academia do Vinho, Larousse do Vinho e internet

Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article
7 juillet 2011 4 07 /07 /juillet /2011 17:39

BodyPart

 

O Senado Brasileiro o dia 07-07-2011 aprovo a regulamentação da profissão de Sommelier, a mesma segue, para a sanção da Presidente da República Dilma Rouseff

 

Antecedentes

 

O site da Câmara de Deputados publicou, dia 08/12, a notícia abaixo, que informa sobre a regulamentação da profissão de sommelier: "A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou há pouco, em caráter conclusivo*, o Projeto de Lei 4495/08, do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que regulamenta a profissão de sommelier – profissional que executa serviço especializado de vinhos e de outras bebidas em empresas de eventos gastronômicos, de hotelaria, restaurantes, supermercados, enotecas (coleção de vinhos para exposição) e nos serviços de bordo de companhias aéreas e marítimas.

 

 

O relator, deputado João Magalhães (PSDB-MG), recomendou a aprovação da matéria nos termos do substitutivo da Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público. O substitutivo que engloba dois projetos de lei sobre o assunto – 4495/08, do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e 4502/08, do deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que tramitam em conjunto, e exclui a obrigatoriedade de registro profissional em órgão do Poder Executivo." * Caráter conclusivo: Rito de tramitação pelo qual o projeto não precisa ser votado pelo Plenário, apenas pelas comissões designadas para analisá-lo.

 

O projeto perderá esse caráter em duas situações: - se houver parecer divergente entre as comissões (rejeição por uma, aprovação por outra); - se, depois de aprovado ou rejeitado pelas comissões, houver recurso contra esse rito assinado por 51 deputados (10% do total). Nos dois casos, o projeto precisará ser votado pelo Plenário. Projeto de Lei nº 4495/2008 (do Deputado Eduardo Cunha)

 

 Dispõe sobre regulamentação do exercício da profissão de "Sommelier". O Congresso Nacional decreta:

 

 Art. 1º Considera-se “Sommelier”, para efeitos desta Lei, aquele que executa o serviço especializado de vinhos e de outras bebidas em empresas de eventos gastronômicos, “catering” de companhias aéreas, marítimas, hotelaria, restaurantes, supermercados e enotecas. Parágrafo único. Considerar-se-á opcional, aos estabelecimentos referidos no caput deste artigo, a oferta da atividade exercida pelo “provador de vinho” ou “degustador”, admitindo-se a sua presença tão somente naqueles casos em que o estabelecimento pretenda elevar o nível de atendimento dos seus consumidores.

 

Art. 2º Somente poderão exercer a profissão de “Sommelier” os portadores de comprovantes de habilitação em cursos ministrados por instituições oficiais ou privadas, nacionais ou estrangeiras, ou aqueles, que à data de promulgação desta Lei, estejam exercendo efetivamente a profissão há mais de 3 (três) anos.

 

 Art. 3º São atividades específicas do “Sommelier”: I – participar no planejamento e organização do serviço de bebidas:

 

a) colaborando na seleção e compra das bebidas a serem servidas nos estabelecimentos;

b) colaborando na elaboração e atualização da carta de vinhos e da carta do bar;

c) colaborando na definição das bebidas dirigidas a eventos especiais, tais como, banquetes, bufês e coquetéis;

 

 II – assegurar a gestão do aprovisionamento e armazenagem dos produtos relacionados ao serviço de bebidas:

 

a) organizando e dirigindo a cantina, controlando as entradas e saídas de produtos, efetuando as requisições necessárias, vigiando o estado de conservação dos vinhos e de outras bebidas;

b) controlando o estoque de bebidas na cantina, fornecendo indicações para a sua adequada conservação e vigiando, periodicamente, o estado dos vinhos, nomeadamente, por meio da degustação;

 

III – preparar o serviço de vinhos e de outras bebidas:

 

a) verificando e preparando as condições de utilização e limpeza dos equipamentos e utensílios utilizados no serviço de bebidas e, em especial, preparando o carrinho de bebidas com aperitivos e digestivos;

b) providenciando a reposição de produtos na cantina e assegurando as condições necessárias à sua utilização, nomeadamente no que se refere à temperatura dos vinhos adequada às suas características;

c) obtendo as informações relativas à carta do restaurante e pratos do dia, de modo a melhor sugerir a bebida adequada;

 

IV – executar o serviço de vinhos:

 

a) apresentando a carta de vinhos após consultar o pedido de refeição dos clientes e aconselhá-los na sua escolha, em função das iguarias escolhidas e das suas preferências a fim de harmonizar a sua combinação;

b)procedendo à abertura da garrafa, utilizando os utensílios adequados às características do vinho;

c) provando o vinho na presença do cliente, utilizando utensílios adequados;

d) procedendo à decantação do vinho com o auxílio de instrumentos adequados;

e) servindo o vinho aos clientes em copos apropriados, respeitando as regras e as técnicas do serviço e providenciando pela manutenção da temperatura adequada à natureza do vinho;

 

V – preparar e servir outras bebidas alcoólicas e não-alcoólicas:

 

a) oferecendo aperitivos e digestivos aos clientes, apresentando a carta de bebidas e prestando informações e sugestões;

b) preparando e servindo aperitivos e digestivos de acordo com a sua natureza, misturando os produtos nas quantidades adequadas, utilizando copos apropriados e procedendo à sua decoração quando necessário;

 

VI – atender e resolver reclamações de clientes, tendo em conta a necessidade de assegurar um bom clima relacional.

 

Art. 4º O exercício da profissão de “Sommelier” depende de registro na Delegacia Regional do Trabalho competente.

 

Art. 5º A concessão do registro dar-se-á mediante a apresentação, pelo interessado, dos seguintes documentos, comprovando:

I – identidade;

II – estar em dia com as obrigações eleitorais;

III – quitação com o serviço militar;

IV – ter concluído curso inerente à degustação, mantido por entidades competentes, ou

V – ter exercido por mais de 3 (três) anos a função de “Sommelier”, nos termos do art. 2º.

 

Art. 6º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Projeto de Lei nº 4520/2008 (do Deputado Onyx Lorenzoni) Dispõe sobre a regulamentação do exercício da profissão de Sommelier. O Congresso Nacional decreta:

 

Art. 1º Considera-se Sommelier, para os efeitos desta Lei, aquele que executa o serviço especializado de vinhos em empresas de eventos gastronômicos, hotelaria, restaurantes, supermercados e enotecas e em comissariaria de companhias áreas e marítimas.

 

Art. 2º Somente poderão exercer a profissão de Sommelier os portadores de certificado de habilitação em cursos ministrados por instituições privadas nacionais ou estrangeiras reconhecidas pelo MEC, ou aqueles, que à data de Publicação desta lei, estejam exercendo a profissão há mais de três anos.

 

Art. 3º São atividades exercidas pelo Sommelier:

I – participação no planejamento e na organização do serviço de vinhos nos estabelecimentos;

II – gestão de aprovisionamento e do armazenamento dos produtos relacionados ao serviço de vinhos;

III – preparação e execução do serviço de vinhos;

IV – atendimento e resolução de reclamações de clientes em estabelecimento que servem e comercializam vinhos, aconselhando-os informando-os sobre as características do produto; V – ensino nos cursos básicos e avançados de profissionais Sommelier.

 

Art. 4º O exercício da profissão de Sommelier depende de registro na Delegacia Regional do Trabalho.

 

Art. 5º A concessão do registro dar-se-á mediante a apresentação, pelo interessado, dos seguintes documentos, comprovando: I – identidade; II – estar em dia com as obrigações eleitorais; III – quitação do Serviço Militar; IV – ter concluído curso inerente à degustação, mantido por entidades competentes.

 

Art. 6º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação

Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article
2 juillet 2011 6 02 /07 /juillet /2011 16:29

O jantar aconteçe os dia 06-07-2011 

 

http://www.felixbistrot.com.br/

 

Felix1-394x1024-copie-1.jpg

 

 

 

 

 

MaisonLouis Latour

 

Fundada em 1797, a Louis Latour é uma empresa familiar de grande tradição, que construiu sua reputação com base no equilíbrio entre tradição e inovação e se tornou reconhecida internacionalmente pela qualidade dos seus tintos e brancos.

A família Latour se dedica à viticultura desde o século XVIII (antes da fundação da vinícola) e vem construindo, geração após geração, um Domaine singular na Borgonha com cerca de 50 hectares. Este Domaine é proprietário da maior extensão de vinhedos Grand Cru da Cote d’Or, com um total de quase 29 hectares.

Todas as uvas dos vinhedos próprios do Domaine Louis Latour são vinificadas na histórica adega construída em 1834 no Château Corton Grancey, em Aloxe-Corton. Trata-se da primeira adega planejada construída na França e a mais antiga ainda em operação. Distribuída em níveis no interior de uma suave colina, a adega é composta por um sistema que permite ao processo de vinificação o uso da força da gravidade para movimentar uvas, mostos e vinhos. Eliminando, assim, a agressividade e eventual oxidação decorrente do bombeamento.

A Louis Latour foi pioneira na produção de vinhos de qualidade a partir das uvas Chardonnay e Pinot Noir fora das fronteiras da Borgonha. Seus vinhos produzidos nas regiões de Ardèche e Côteaux de Verdon vem conquistando prestígio e mercados pela excelente qualidade, raramente encontrada fora da Borgonha.

Em 1997 a vinícola celebrou seu bicentenário e foi admitida no exclusivo “Club Hénokiens”, restrito apenas a empresas líderes em seus segmentos de mercado, que permaneçam familiares, tenham uma história de ao menos 200 anos e ainda possuam o nome de seu fundador. Só existem, aproximadamente, 40 dessas empresas no mundo!

 
  • Louis Latour “Duet” Chardonnay-Viognier – Côteaux de l’Ardèche
    Cód. 501923 – 750 ml
  • Produtor: Louis Latour
  • Origem: França
  • Região: Ardèche
  • Tipo de Vinho: Vinho Branco
  • Características Organolépticas
    Amarelo-esverdeado e brilhante. Aromas delicados e marcados por flores brancas, pêssego e damasco. Na boca tem bom frescor, médio corpo, sabores cítricos, maciez, equilíbrio e um final límpido.

     

    Características Analíticas
    Teor Alcoólico: __ % VOL.

    Enogastronomia
    É um vinho versátil e acompanha bem saladas, peixes de carnes brancas, frutos do mar grelhados e queijos de massa mole.

    Conservação
    Conservar em lugar fresco (15°C a 16°C), na posição horizontal. Evitar exposição ao sol e variações bruscas de temperatura.

 
  • Louis Latour Chardonnay Grand Ardèche – Côteaux de l’Ardèche
    Cód. 501922 – 750 ml
  • Produtor: Louis Latour
  • Origem: França
  • Região: Ardèche
  • Tipo de Vinho: Vinho Branco
  • Características Organolépticas
    Um delicioso Chardonnay de cor amarela com reflexos dourados e brilhantes. Nariz delicado e frutado, com aromas cítricos, notas de frutas tropicais, sutis nuances de baunilha e especiarias. Na boca é redondo, denso e encorpado, com ótimo equilíbrio fruta-acidez. Muito fresco e com longa persistência.

     

    Características Analíticas
    Teor Alcoólico: 13 % VOL.

    Enogastronomia
    É um vinho versátil e acompanha bem saladas, peixes de carnes brancas com molhos saborosos, frutos do mar grelhados ou cozidos e com molhos saborosos e queijos de massa mole.

    Conservação
    Conservar em lugar fresco (15°C a 16°C), na posição horizontal. Evitar exposição ao sol e variações bruscas de temperatura.

 
  • Louis Latour Marsannay
    Cód. 501811 – 750 ml
  • Produtor: Louis Latour
  • Origem: França
  • Região: Bourgogne
  • Tipo de Vinho: Vinho Tinto

Castas / Composição

Pinot Noir

Elaboração

Produzido exclusivamente com uvas de Marsannay, a comuna mais ao norte da Cote d’Or e reconhecida por produzir Pinots robustos e com intensos aromas de fruta vermelha. Este é fermentado nos tradicionais tonéis borgonheses de carvalho francês e amadurecido por 10-12 meses em barricas de carvalho francês.

Características Organolépticas

Vermelho-grená, intensos aromas de frutas silvestres, notas de couro, especiarias e minerais. Médio-corpo, com textura sedosa, ótimo equilíbrio entre acidez, taninos e álcool, e longa persistência final.

Enogastronomia

Ótimo acompanhamento para aves de carne escura, como pato e codorna, bem como com carnes vermelhas grelhadas e queijos de massa mole.

Premiações

AM85-87.

Conquistou uma Comenda no Decanter World Wine Awards 2010.

O Marsannay 2005 foi classificado entre os Top 100 da WS em 2008.

 
  • Louis Latour Chassagne-Montrachet Rouge
    Cód. 501810 – 750 ml
  • Produtor: Louis Latour
  • Origem: França
  • Região: Bourgogne
  • Tipo de Vinho: Vinho Tinto

Castas / Composição

Pinot Noir

Elaboração

Este é um raro tinto produzido exclusivamente com uvas Pinot Noir da comuna de Chassagne-Montrachet, localizada no sul da Côte de Beaune e mais famosa por seus brancos. As uvas são fermentadas nos tradicionais tonéis de carvalho borgonheses e o vinho amadurece por 12 meses em barricas de carvalho francês.

Características Organolépticas

Vermelho grená intenso. Ao nariz é sedutor, revelando aromas muito puros e francos de morango, cereja, cassis e cravo. Na boca apresenta médio corpo, delicioso frescor, taninos jovens, mas de excelente qualidade, final pleno de sabores de frutas vermelhas e com longa persistência.

Enogastronomia

Ótimo acompanhamento para aves de carne escura, como pato e codorna, bem como com carnes vermelhas grelhadas e queijos de massa mole.

 

INOVINI traz ao Brasil safra 2009 de Louis Latour

Publicado por Terroir Gourmet |

Diretor da vinícola visita pela primeira vez o país e apresenta a novidades para o mercado brasileiro

 

Bruno Pépin, diretor da vinícola Louis Latour, visita o Brasil pela primeira vez no próximo dia 4 de julho. A convite da INOVINI – divisão de vinhos da importadora Aurora – o executivo chega ao país com o objetivo de conhecer o mercado brasileiro e ampliar a presença da vinícola. Pépin também lança uma novidade aos apreciadores de vinhos franceses: a safra 2009, famosa por sua excepcional qualidade na Borgonha.

 

“A Louis Latour está certamente entre as principais marcas de Borgonha no Brasil e é considerada uma das mais importantes vinícolas do mundo. Este ano, de janeiro a maio, a INOVINI aumentou em 37% o faturamento da marca em relação ao mesmo período de 2010. Isto é resultado do desenvolvimento da categoria e o crescente interesse dos brasileiros por vinhos da Borgonha de alta qualidade”, declara Rodrigo Lanari, gerente da INOVINI.

 

A vinícola, conceituada em todo o mundo e uma das mais respeitadas da Borgonha, pela qualidade dos seus vinhos tintos e brancos, é proprietária do histórico Château Corton Grancey, a primeira adega planejada da França. Pioneira na produção de vinhos de qualidade a partir das uvas Chardonnay e Pinot Noir fora das fronteiras da Borgonha, a Louis Latour tem um estilo próprio, mas sempre busca tipicidade e elegância em seus brancos e tintos.

Confira as safras de 2009 recém-chegadas ao país:

  • Louis Latour Domaine de Valmoissine Pinot Noir – R$ 99
  • Louis Latour Marsannay – R$ 115
  • Louis Latour Chablis – R$ 115
  • Louis Latour Pouilly Fuissé – R$ 135
  • Louis Latour Chassagne-Montrachet Rouge – R$ 178
  • Louis Latour Volnay – R$ 248
  • Louis Latour Aloxe Corton Premier Cru – R$ 295
  • Louis Latour Meursault-Blagny Premier Cru – R$ 298
  • Louis Latour Puligny-Montrachet Premier Cru – R$ 350
  • Louis Latour Gevrey-Chambertin Premier Cru – R$ 450
  • Louis Latour Corton-Charlemagne Grand Cru – R$ 835

Para saber sobre os outros vinhos da Louis Latour importados pela INOVINI, acesse: http://www.aurora.com.br/vinhos/produtores/louis-latour-7.aspx

 

Estes Vinhos serão Vendidos com um desconto Especial de 25%. Somente neste dia e para os participantes do Jantar.



  •  

 

 

 

 

 

 

 

Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article
26 juin 2011 7 26 /06 /juin /2011 16:35

Vinho do Douro leiloado em Angola atinge valor inédito de 21.600 dólares

 

 

 

 

Um garrafa de 18 litros de vinho tinto Benfeito, do Douro, foi leiloada em Luanda, Angola, por um valor raramente obtido por um vinho português: 21.600 dólares, o que equivale a cerca de 14.800 euros. Isabel dos Santos 

 

O leilão teve lugar no restaurante Oon.Dah, de Isabel dos Santos, filha do Presidente da República de Angola, no final da semana passada, e a respectiva receita reverteu a favor do projecto de conservação da palanca negra (símbolo da nação angolana), que é levado a cabo pela Fundação Kissama. Criada em 1996 por um grupo de sul-africanos e angolanos preocupados com a situação dos parques nacionais daquele país africano e com a conservação dos seus recursos naturais, a Kissama tem como patrono o próprio chefe de estado angolano, José Eduardo dos Santos, escreve a Lusa. «Esta é uma notícia muito importante para os vinhos portugueses, mas sobretudo para a região do Douro.

 

No rótulo do Benfeito, damos bastante ênfase à origem do vinho, sublinhamos que é feito na mais antiga região demarcada do mundo», sublinha o enólogo Pedro Sequeira, que assina, com Ricardo Guerra, a autoria deste vinho. Dados do Instituto do Vinho e da Vinha relativos ao ano de 2010 mostram que Angola «é o principal destino dos vinhos portugueses, com um peso de 27 por cento em volume e 17 por cento em valor». A garrafa de 18 litros foi disputada durante quase uma hora por Manuel Silva, administrador do Populão, uma das maiores empresas de venda de vinhos a retalho em Angola, e Carlos Andrade, administrador da SeaTrade e um dos accionistas da Olivewine.

 

Resultados vão ajudar a impulsionar as vendas O vinho acabou por ser arrematado por Manuel Silva, o qual justificou depois que «para a palanca não há preço».

 

Segundo Ricardo Guerra, «os resultados do leilão vão ajudar muito a impulsionar as vendas do vinho Benfeito, mas também dos restantes vinhos portugueses».

 

Elaborado a partir de vinhas velhas, o Benfeito nasceu graças à vontade de quatro amigos - dois enólogos e dois investidores portugueses radicados em Angola -, que se uniram para criar uma empresa, a Olivewine, para produzir vinhos do Douro para exportação e, em simultâneo, para apoiar causas sociais em cada país de destino.

 

O primeiro vinho Benfeito, uma série com 4500 garrafas, teve Angola como destino e como causa a preservação da palanca negra gigante, animal em vias de extinção. Na mira daquela empresa estão já mercados como o Brasil e a China, fazendo parte dos seus planos a causas sociais mobilizadoras direccionando para estas uma parte da venda das garrafas de vinho.

 

Os vinhos Benfeito terão assim rótulos originais para cada país, «de acordo com as causas locais» que a empresa apoiará, para desta forma «ilustrar uma história e chamar a atenção do mundo para essas mesmas causas», informa Ricardo Guerra.

 

O Benfeito (Palanca Negra) nasceu no Douro e é um vinho de grande estrutura com taninos presentes, mas finos e persistentes. Com 14,19 % com álcool, este vinho foi produzido a partir de diversas vinhas velhas, com mais de 80 anos.

 

Fonte: agenciafinanceira.iol.pt

 

Repost 0
Published by clubeamigosdovinho.over-blog.com
commenter cet article

Présentation

  • : Le blog de clubeamigosdovinho.over-blog.com
  • Le blog de clubeamigosdovinho.over-blog.com
  • : Informações Sobre o Mundo do Vinho e como Atividades clube nenhum do Brasil
  • Contact

Recherche

Liens